terça-feira, 6 de maio de 2014

Resenha: Sweet Tooth: depois do apocalipse, Jeff Lemire, Panini Comics (Vertigo)

Sinopse: Uma década atrás, a praga atacou como fogo em uma floresta e matou bilhões. As crianças que nasceram após esse apocalipse eram um híbrido entre humano e animal.. Gus é uma dessas crianças ameaçadas, um garoto com uma alma doce, uma queda por doces e a feição de um cervo. E crianças como ele valem dinheiro.

Ele vivia tranquilo com seu pai em uma cabana nas profundezas de uma floresta isolado do resto mundo até que foi encontrado por terríveis caçadores. Mas um estranho brutamontes o protegeu e salvou dos malvados, prometendo levar Gus até a Reserva, um santuário para crianças híbridas como Gus. Esse estranho é Jepperd, um homem tão misterioso quanto violento.

Esse é o começo de uma longa jornada através do devastado território de um país assolado pela peste, e nem Gus nem Jepperd fazem a mais remota ideia de como essa viagem pode transformá-los.

O criador: Jeff Lemire é um autor da nova geração de talentos dos quadrinhos, surgido do mercado independente e responsável, entre outras coisas, pela nova série do Homem-Animal. 

Fonte: http://hotsitepanini.com.br/vertigo/series/sweet-tooth/

Descobri, neste ano, os quadrinhos, ou graphic novels, através da Tatiana Feltrin (que, na minha opinião, é, a melhor vloger literária do Youtube). E que descoberta! Estou apaixonada pela 9ª arte. Completamente apaixonada.

E posso dizer que comecei com o pé direito, com esta incrível criação de Jeff Lemire. Sweet Tooth é uma história maravilhosa, sombria, macabra, até, e de uma profundidade desconcertante. Tem classificação de 18 anos, por conter uma boa dose de violência – que não aparece gratuitamente, mas apenas – e fundamentalmente – para demonstrar a brutalidade do mundo assolado pela peste no qual Sweet Tooth se depara, ao contrário de sua inocência e fragilidade.

O que eu achei mais bacana nessa HQ, além dos desenhos (não sou nenhuma especialista em traço), foram os questionamentos que são levantados ao longo de toda a história. Questionamentos que tratam de assuntos como: sobrevivência própria e amizade, Ciência e misticismo, futuro da humanidade, os limites das práticas da Ciência, a busca pelas raízes e identificação pessoal. Fiquei totalmente absorta na HQ – que é muito bem escrita, com diálogos sem rodeios, que vão direto ao ponto, e se mostram, todos, fundamentais ao desenvolvimento da história.

Agora, para mostrar o quanto a HQ é bonita, algumas imagens para encantarem vocês (retiradas do Google):



São 40 histórias, lançadas pelo selo Vertigo nos EUA, sendo que aqui foram lançadas pela Panini Comics em seis volumes contendo todas as 40 histórias, divididas da seguinte maneira: 

- Volume 1: Saindo da Mata - histórias 1 a 5 (preview aqui);
- Volume 2: Cativeiro - histórias 6 a 11;
- Volume 3: Exército Animal - histórias 12 a 17;
- Volume 4: Espécies em extinção - histórias 18 a 25;
- Volume 5: Habitat Anormal - histórias 26 a 32;
- Volume 6: Jogo Selvagem - histórias 33 a 40.


Nota: 


Para comprar os seis volumes, clique aqui.

Espero que você se delicie com essa HQ fantástica! Até a próxima!