quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Resenha Combo: Os Supremos 1 e 2, Mark Millar & Bryan Hitch, Panini Comics (Marvel Comics)

Os Supremos 1
País de Origem: EUA
Período de Publicação Original: 2002 a 2004
Ano da Edição Brasileira Atual: 2012      
Tradução: Fernando Lopes & Jotapê Martins
Nº de Páginas: 378
Edições Incluídas: The Ultimates 1 #1 a #13

Os Supremos 2
País de Origem: EUA
Período de Publicação Original: 2005 a 2007
Ano da Edição Brasileira Atual: 2012      
Tradução: Fernando Lopes & Jotapê Martins
Nº de Páginas: 408
Edições Incluídas: The Ultimates 2 #1 a #13


Sinopse: General Nick Fury da SHIELD estabelece uma equipe patrocinada pelo governo que inclui o casal de cientistas e Janet e Henry Pym, o cientista Bruce Banner e o milionário Tony Stark para juntos trabalharem na recriação do soro do super soldado. Juntos, eles têm como base a instalação da SHIELD, o Triskelion. Por sorte, a equipe de Tony Stark encontra o Capitão Steve Rogers congelado, que não era visto desde que derrotara os Chitauris na Segunda Guerra Mundial. Banner utiliza-se da amostra do sangue de Rogers para poder recriar o soro, mas por ambição injeta-se com sua fórmula misturada do soro, transformando-se na criatura Hulk, a qual já havia antes atacado Nova York, sendo detido pelos Supremos com a ajuda de Thor. Após ser detido, Banner permanece em custódia, pois descobre que, com a mistura do soro do Hulk com o sangue de Rogers, a criatura Hulk permanece para sempre no seu corpo. Logo, toda vez que Banner se irrita, transforma-se nele. A equipe, então, une forças com os irmãos Mercúrio e Feiticeira Escarlate da Irmandade de Mutantes, os agentes Gavião Arqueiro e Viúva Negra da SHIELD e com a ajuda do próprio Hulk enfrenta a ameaça dos alienígenas transmorfos, os Chitauri, que querem provocar mais uma Guerra Mundial, com o intuito de acabar com a população da Terra, começando seu ataque interno na SHIELD para enfraquecer a defesa da Terra.




MINHA EXPERIÊNCIA DE LEITURA


No começo dos anos 2000 a Marvel lançou o seu universo Ultimate, que é uma versão mais moderna e bad-ass dos heróis do universo regular da Marvel (chamado de 616). Mark Millar (‘Kick-Ass’, ‘Superior’, ‘Nêmesis’) ficou responsável por escrever a origem alternativa dos Vingadores. Assim nasceu The Ultimates, ou Os Supremos, sucesso de público e crítica e considerado, por muitos, uma das melhores séries da editora, tendo lançado as bases para todo o universo da Marvel nos cinemas.

A HQ inteira tem ritmo cinematográfico, e todas as personagens ganharam novas – e melhores - versões. Aqui o Capitão América, por exemplo, não é tão bonzinho e é um pouco “pegador”; o Homem de Ferro tem câncer terminal; o Hulk é ainda mais violento; o Nick Fury é negro; e Thor é um hippie que curte fazer uma manifestação. Millar faz ótimas piadas, inclusive com George W. Bush, que era o presidente dos EUA à época da publicação. Considerando, também, que Ultimates começou a ser publicada menos de um ano após os ataques de 11 de setembro, o tom de ameaça e o militarismo são constantes ao longo de todas as 26 edições.

O arcabouço humano e familiar dos heróis é bastante explorado, com bons dramas envolvendo seus relacionamentos interpessoais: o casamento problemático do Homem-Formiga (Hank Pym) e a Vespa; o reencontro entre Steve Rogers e Buck Barnes; o relacionamento entre Tony Stark e Natasha (Viúva Negra); o seio familiar do Gavião Arqueiro; o relacionamento difícil entre Bruce Banner e sua namorada (que também é a relações públicas da Shield); o caso amoroso de Steve Rogers com a Vespa; e os valores morais de Thor. Em minha opinião, essas subtramas são o que há de melhor em Supremos.

Mas quando é hora da ação no quadrinho, Millar não faz feio. A porradaria “come solta” e, tanto os planos dos vilões, quanto os atos de alguns heróis e suas consequências são responsáveis por cenas de ação de tirar o fôlego recheadas com diálogos inteligentes.


DESENHOS


Bryan Hitch dá uma aula de desenho nos dois volumes. O traço do artista é perfeito para esse tipo de história, e os enquadramentos, detalhes e expressões faciais impressionam. Quando ele desenha uma rua, por exemplo, se preocupa com os detalhes de cada prédio, árvores, transeuntes e etc. É sensacional. Nas cenas de ação, então, você consegue seguir com tremenda fluidez e visualizar o movimento dos corpos, o barulho, as explosões e choques. Em Supremos 2 há uma página óctupla de uma mega batalha envolvendo todo tipo de personagem que você conseguir imaginar. É possível ficar horas olhando os detalhes dela.








VEREDITO


Os Supremos 1 e 2 são duas HQs inteligentes e extremamente divertidas, leitura ideal para quem quer iniciar no universo dos quadrinhos de Vingadores ou apenas para quem quer conferir uma ótima história de super-heróis. A fenomenal arte de Bryan Hitch complementa as ótimas sacadas de Mark Millar, formando uma obra que já nasceu clássica.

Absolutamente imperdível!

Nota:
5/5