domingo, 27 de setembro de 2015

Melhores mangás de ficção científica


Sou uma apaixonada confessa por ficção científica. Adoro livros e filmes sobre o tema. E é claro que, como leitora de quadrinhos, também aprecio uma boa HQ sci-fi.  E ao começar a ler mangás descobri que existem por aí inúmeros títulos excelentes com essa temática. Algumas obras, inclusive, foram importantes para a ficção científica como gênero em geral. Portanto listo para vocês os 10 melhores mangás de ficção científica (estão em ordem alfabética). Para chegar a esses títulos fiz uma pesquisa detalhada em fóruns e sites especializados e escolhi as obras com maior qualidade e importância, ou seja, mangás que são simplesmente excelentes e imperdíveis.


20th Century boys


Autor/Mangaká: Naoki Urasawa
Editora: Shogakukan
Período de publicação: 2000-2006
Nº de volumes: 22 + 2 de 21th Century Boys (continuação da série)
Edição brasileira: está saindo pela Panini desde 2012 em edições bimestrais.
Onde comprar: Amazon BR
Onde baixar (scans): Mangas Project

Sinopse: A humanidade não teria superado o desastre do final do Século 20 se não fosse por “eles”, que criaram um símbolo. Em 1997, quando a crise se aproximava lentamente, o símbolo ressurgiu. Esta é a história de como um grupo de garotos comuns salvou o mundo. Fonte: Universo HQ

Resenha: “O que define o impacto que teremos na vida das outras pessoas, ou melhor, quais de nossas ações gerarão consequências nos que nos cercam? A trama da revista pode ser definida assim: as ações de um grupo de crianças em 1969 repercutem e salvam o mundo na virada para o Século 21. Mas quais delas foram importantes para o futuro de cada um deles? E qual o impacto disto no planeta? O autor faz questão de individualizar cada personagem, com feições e trejeitos próprios. A riqueza nos detalhes está por toda parte, capas de revistas, encartes dos discos, pôsteres, retratos, o pouso no homem na Lua, o bairro, modelo de bicicleta, tudo ali para transportar o leitor pelas épocas”. Fonte: Universo HQ



Akira


Autor/Mangaká: Katsuhiro Otomo
Editora: Kodansha
Período de publicação: 1982-1990
Nº de volumes: 6
Edição brasileira: saiu pela Editora Globo em 38 edições, sendo que as edições #1 a #33 saíram entre 1990 e 1993 e as edições #34 a #38 entre 1997 e 1998. A JBC já anunciou este ano que está com os direitos do mangá e vai publicá-lo em breve, ou seja, será uma excelente oportunidade para colecioná-lo.
Onde comprar: Amazon BR
Onde baixar (scans): Rapadura Açucarada (edições da Globo) e Mangas Project


Sinopse: Em dezembro de 1992 um novo tipo de bomba explodiu na área metropolitana do Japão. Nove horas depois começou a Terceira Guerra Mundial. 38 anos depois da guerra, o planeta está reconstruído. A trama de Akira se passa em Neo Tokyo City, em 2030. Um grupo de motoqueiros se vê envolto com um fato estranho que os levará a um mundo cheio de intrigas e situações paranormais. Fonte: Universo HQ

Resenha: “É fácil afirmar que Akira é uma das melhores HQs de todos os tempos. Katsuhiro Otomo desenvolve uma trama excelente, envolvendo ficção científica, personagens poderosos, adolescentes problemáticos, intrigas governamentais, uso de drogas e muito mais. Contribui para a qualidade do gibi a maravilhosa colorização de Steve Oliff, com a participação ativa de Otomo”. Fonte: Universo HQ

 


Eden – it’s an endless world!


Autor/Mangaká: Hiroki Endo
Editora: Kodansha
Período de publicação: 1998-2008
Nº de volumes: 18
Edição brasileira: está saindo pela JBC em 9 encadernados de luxo, com 2 volumes em cada (cerca de 400 páginas), sendo que o primeiro saiu em julho/2015 e o intervalo de lançamento será bimestral.
Onde comprar: JBC
Onde baixar (scans): Mangas Project

Sinopse: O surgimento do vírus Closer mergulha o mundo em um caos político e social. Em meio às buscas por uma cura e às desesperadas tentativas das Nações Unidas de gerir a crise e guiar a humanidade em direção ao futuro, grupos fundamentalistas paramilitares de diversas causas ideológicas e étnicas entram em conflito e expandem suas áreas de influência pelos países devastados. Neste cenário, os sobreviventes devem se adequar à nova realidade mundial, e compreender qual será o papel do homem neste distópico futuro. Fonte: JBC


Resenha: “A ação é bem dosada com reflexões e pensamentos. Aliás, como o nome sugere, o título traz diversas referências à Bíblia. Há até reflexões interessantes entre os personagens. A arte de Eden é excelente. Cenários e maquinários bastante detalhados e um design competente dos personagens tornam tudo cada vez mais interessante”. Fonte: Universo HQ



Gantz


Autor/Mangaká: Hiroya Oku
Editora: Shueisha
Período de publicação: 2000-2013
Nº de volumes: 37
Edição brasileira: saiu pela Panini de 2007 a 2014
Onde comprar: edições esgotadas
Onde baixar (scans): Mangas Project

Sinopse: Gantz conta a história do adolescente de 15 anos, Kei Kurono, que morre atropelado pelo metrô junto de um amigo, Masaru Katou. Após isso os dois são transportados para uma sala para participar de um jogo sanguinário, violento e competitivo, comandado por uma "esfera negra" chamada Gantz. Fonte: Wikipedia

Resenha: “Mesmo sendo um mangá focado em ação frenética e ultraviolenta, a narrativa aborda questões muito interessantes, como ‘o que nos torna humanos’? A morte é presente na narrativa, assim como o papel das memórias na formação da identidade. O confronto com os alienígenas coloca os humanos em uma perspectiva ateísta e provocadora, a carnificina torna os humanos em criaturas insignificantes, entidades bio-orgânicas desenvolvidas por meio da evolução natural, e nada diferentes dos alienígenas, buscando sobreviver a todas à custa em um universo que é completamente indiferente a nossa existência. O sentido da vida tem que ser criado artificialmente, pois não existe nada fora da experiência humana que tenha uma razão de existir. Assim como as bolas negras do Gantz, o universo simplesmente existe, sem nenhuma verdade superior por trás. Essa visão é o que eleva Gantz acima das centenas de narrativas semelhantes. Ele força o leitor a encarar o absurdo da existência humana, tão frágil, temporária e sem sentido maior. Se Nietzsche escrevesse um mangá, e fosse viciado em media ultraviolenta, provavelmente sairia algo como Gantz!”. Fonte: Nitroblog



Ghost in the shell

Autor/Mangaká: Masamune Shirow
Editora: Kodansha
Período de publicação: 1989-1991
Nº de volumes: 8
Edição brasileira: a JBC já anunciou este ano que está com os direitos do mangá e vai publicá-lo em breve, ou seja, será uma excelente oportunidade para colecioná-lo.
Onde comprar: Amazon BR
Onde baixar (scans): Mangas Project

Sinopse: Em um futuro próximo, a tecnologia tem formado firme raiz na sociedade em geral. Implantes cibernéticos não são nada incomuns e robôs vagam tão abundantes como os seres humanos, todos conectados através de seus “Ghosts” para os fluxos de dados eletrônicos da rede. A tenente Kusanagi Motoko e a Seção 9 de Segurança Pública encontram-se em uma batalha constante com a onda recém-criada de terroristas tecnológicos e de ciber-hackers. Mas as coisas tomam um rumo inesperado quando Motoko se encarrega de um determinado caso envolvendo um extremamente perigoso hacker “Ghost” apelidado de Puppeteer. A partir desse caso, ela mergulha cada vez mais fundo na realidade ilimitada da rede para chegar a suas próprias conclusões surpreendentes. Fonte: Chuva de Nanquim


Resenha: “Além da ação, GitS possui muitas questões que permeiam debates filosóficos e existenciais. O que seria a alma de um robô? Mas se robô não tem alma, e os homens passam a dar alma a eles, então o homem é Deus? Qual o papel dessas massas pseudo-humanas na sociedade? Essas e mais algumas questões são levantadas no decorrer da série, o que remete a grandes clássicos da ficção científica mundial como Blade Runner e a literatura de Isaac Asimov.” Fonte: Bodega Online



Neon Genesis Evangelion


Autor/Mangaká: Shiyuki Sadamoto
Editora: Kadokawa Shoten
Período de publicação: 1994-2013
Nº de volumes: 14
Edição brasileira: foram publicadas edições especiais pela JBC de outubro de 2011 a novembro de 2014
Onde comprar: Amazon BR
Onde baixar (scans): Mangas Project

Sinopse: O enredo de Evangelion se passa em 2015, em um mundo que acabara de ser reconstruído após a dizimação de metade da humanidade na catástrofe que ficou conhecida como “Segundo Impacto”. O Japão ganha uma capital provisória, a Tokyo-2, cujo Governo promove a construção da futura capital denominada Tokyo-3. Mas a construção da nova metrópole serve apenas de fachada para erguer uma cidade-fortaleza com tecnologia altamente avançada para resistir à ofensiva dos Anjos, monstruosos seres, cujo ataque já havia sido previsto pela humanidade.
A organização especial paramilitar, denominada NERV, foi incumbida da missão de combater tais ameaças usando mechas gigantes chamados de Evas, que são pilotados por jovens rigorosamente selecionados. Um deles é Shinji Ikari, um tímido adolescente. Na realidade, há mais de dez anos ele foi abandonado pelo pai, Gendo Ikari, atual comandante supremo da NERV. Aos 14 anos, Shinji é chamado por ele para pilotar o incrível EVA-01, a última esperança da humanidade na batalha contra os Anjos. Assim dá-se início a uma aventura inigualável em que ficção científica se mistura aos sentimentos mais complexos e profundos do ser humano. Fonte: Chuva de Nanquim


Resenha: O segredo de inigualável sucesso talvez esteja em sua trama complexa, que não está limitada a apenas contar uma história da luta do bem contra o mal, mas principalmente por abordar assuntos mais profundos como a psique humana, seus conflitos internos e relacionamentos. Religião e política são outros ingredientes na história de Evangelion que atraiu leitores de todas as partes do mundo. O enredo foge dos clichês como heróis com superpoderes e de caráter livre de qualquer falha. Na realidade, Evangelion explora exatamente o oposto ao colocar um jovem de 14 anos carente de afeto e desprovido de amor próprio como a principal peça capaz de salvar o mundo de misteriosos seres chamados de “Anjos”, que ninguém sabe ao certo se são enviados por Deus para castigar a humanidade ou alienígenas invasores.Com uma trama bem elaborada, Evangelion consegue prender a atenção não apenas de leitores que têm preferência por ficção científica, como também de pessoas que gostam de outros gêneros.” Fonte: Chuva de Nanquim



No. 6


Autor/Mangaká: Atsuko Asano & Hinoki Kino
Editora: Kodansha
Período de publicação: 2011-2014
Nº de volumes: 9
Edição brasileira: está sendo publicado pela Editora NewPOP desde março/2015
Onde comprar: NEWPOP
Onde baixar (scans): Mangas Project

Sinopse: No. 6 conta a história de uma nação utópica formada por seis setores, cercados por um muro gigante que os separa do resto do mundo. Nesse lugar tudo é perfeito e maravilhoso, as pessoas são felizes e tudo está bem. Isso pelo menos é o que o governo de lá te obriga a pensar, pois existem muitos mistérios envolvendo esse lugar. Por trás desse mundo supostamente utópico, ou seja, passando para o outro lado de seus altos muros, se encontra pobreza, miséria, infelicidade: um lugar chamado Distrito Oeste. Existem diversas pessoas vivendo em favelas ao redor dos muros dessa cidade perfeita, pessoas passando fome, sofrendo sem ter proteção, à mercê de diversos perigos. É nessa divisão entre dois mundos completamente distintos que dois personagens acabam por se conhecer: Shion e Nezumi. O segundo acaba numa noite chuvosa fugindo do governo, ferido, daquele lugar e invade o quarto de Shion, que ao ver as feridas do outro menino o ajuda. Fonte: Chuva de Nanquim


Resenha: “Em muitos momentos percebemos referências a grandes obras de sci-fi em geral, desde Blade Runner a trabalhos de Asimov (para os que não conhecem recomendo que pesquisem o catálogo literário da editora Aleph). Não necessariamente escritas com todas as letras, mas em entrelinhas muito bem amarradas pela autora. Toda a participação da inteligência artificial dos androides, a ideia de existir algo dentro de sua mente desde o início e um personagem forte que se destaca como um rebelde. Foi apenas o primeiro livro, mas a capacidade de envolver os fãs desse gênero realmente surpreende. Não apenas por todos os elementos em si, mas também pelo poder de usá-los de maneira correta, sem atropelamentos e sem atrapalhar em nada na leitura ou na compreensão da trama principal. Como sempre digo, o problema não são os clichês – afinal eles existem por darem certo (ou muito errados em alguns casos) – e sim que eles sejam bem empregados.” Fonte: Chuva de Nanquim



Parasyte (Kiseijū)


Autor/Mangaká: Hitoshi Iwaaki
Editora: Kodansha
Período de publicação: 1988-1995
Nº de volumes: 10
Edição brasileira: está saindo pela JBC desde setembro/2015.
Onde comprar: Liga HQ
Onde baixar (scans): Mangas Project

Sinopse: Criaturas desconhecidas começam a surgir por toda parte, tomando controle do corpo de pessoas comuns e se alimentando de outros seres humanos. Shinichi Izumi acaba “hospedando” uma dessas criaturas em sua mão direita. Os dois conseguirão viver em harmonia? Será que o mundo sobreviverá a essa invasão? Fonte: Universo HQ

Resenha: “Kiseiju é uma obra redonda, com um plot excelente, que não se perfaz, nem se perde no meio como muitas outras obras orientais. Com uma conclusão justa e digna. Seus 64 capítulos estão cheios de muitos elementos cativantes, desde as discussões filosóficas, mistérios, ficção científica da boa e até a divertida comédia escolar.” Fonte: Mundo Freak

 


Planetes


Autor/Mangaká: Makoto Yukimura
Editora: Kodansha
Período de publicação: 1999-2004
Nº de volumes: 4
Edição brasileira: está saindo pela Panini desde maio/2015, em edições bimestrais.
Onde comprar: Panini
Onde baixar (scans): Mangas Project

Sinopse: No futuro as viagens para o espaço não vão ser algo tão complicado e difícil de fazer, tornando viagens para fora do planeta normais e constantes. No entanto essas facilidades trouxeram um novo problema: Lixo espacial. Pedaços grandes de escombros, satélites fora de uso e outras coisas acabam flutuando perigosamente em órbitas baixas e os mesmos podem causar um grande acidente se algum desses pedaços de lixo bater em uma espaçonave. Para prevenir isso existem as naves de destroços, responsáveis por manter a ordem do “lixo espacial” e evitar acidentes para as naves de viagens. A história acompanha a nave DS-12 ou conhecida como Toy Box. O mangá conta a história e sonhos da tripulação dessa nave, seu dia a dia, seus dramas e o carinho de todos pelo seu trabalho. Fonte: Chuva de Nanquim


Resenha: “Planetes é uma linda história contada em apenas 4 volumes e é totalmente recomendado para qualquer tipo de leitor. Um enredo profundo, uma arte linda e personagens cativantes. Muitos podem achar que pode ser chato por não ser um sci-fi espacial de ação, mas é uma daquelas experiências que você precisa ter se gosta de mangás. Aliás, não só de mangás. Se você lê quadrinhos em geral conseguirá entender a importância e o significado que essa obra tem.” Fonte: Chuva de Nanquim



Pluto


Autor/Mangaká: Naoki Urasawa
Editora: Shogakukan
Período de publicação: 2003-2009
Nº de volumes: 8
Edição brasileira: aguardamos uma edição da Panini, visto que ela já publicou ‘Monster’ e ‘20th Century Boys’, do mesmo autor.
Onde comprar: Amazon BR
Onde baixar (scans): Mangas Project

Sinopse: No futuro, a sociedade vive lado a lado com robôs que praticamente dividem a população com os humanos e que fazem as mesmas tarefas que eles. Alguns são meros empregados, outros conseguem até mesmo simular a identidade humana e viver como eles, criando família e até mesmo os mesmos costumes. Alguns são policiais, outros se aproveitam de seu passado vencedor e outros simplesmente tentam simplesmente ter uma vida normal. Mas entre esses robôs, 7 são especiais e construídos pelos mais inteligentes e visionários cientistas do mundo. Sete modelos que foram capazes de chegar a tal “perfeição” que mal conseguem ser identificados como robôs ou como humanos e que cumpriram uma história importante para seus países no passado. Seus nomes são Montblanc, Norse #2, Brando, Heracles, Epsilon, Gesicht e Atom. Fonte: Chuva de Nanquim


Resenha: “E Pluto nada mais é que isso: a mensagem que não importa quem você seja, você sempre terá um lado humano. Um lado humano que será regado a ódio, a momentos de tristeza e de angústia, mas que sempre de alguma forma, vai fazer você se lembrar do próximo. Na verdade, Urasawa tenta mostrar que no fundo, todo o ódio retratado no mangá na verdade é amor, é carinho, é esperança. Uma das frases mais marcantes do mangá, e recitada por Gesicth é ‘Nada nascerá do ódio’. Isso retrata bem o que é Pluto.” Fonte: Chuva de Nanquim