quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Melhores livros de divulgação científica de todos os tempos - Parte 2


Vamos à segunda parte da lista dos melhores livros de divulgação científica de todos os tempos, e começaremos de novo com o genial Carl Sagan.

Lembrando que a lista não está em ordem de importância, mas apenas aleatória. Procure essas obras nas livrarias online, nos sites www.livrosdoexilado.org ou lelivros.blue, ou se não encontrá-los em lugar algum, vá a um sebo ou visite www.estantevirtual.com.br. Boas leituras!


Os dragões do Éden, Carl Sagan, Gradiva (editora portuguesa)




Sinopse: Num Éden perdido onde os dragões reinavam encontram-se as fundações da nossa inteligência e das nossas paixões... Sagan conduz-nos, numa visita guiada, até esse mundo perdido... Harmonizando informação científica e os grandes mitos do passado, utilizando a sua incomparável capacidade de relacionamento e de diálogo com as diversas áreas do conhecimento científico, com a filosofia e com a história. Fonte

A origem das espécies, Charles Darwin, Martin Claret

A Origem das Espécies

Sinopse: As idéias gerais da Teoria da Evolução das Espécies sofreram, aos poucos, alterações e aperfeiçoamentos. Todavia, as teses do evolucionismo subsistem até hoje, e o nome da Darwin ficou ligado a uma das mais notáveis concepções do espírito humano. Na base da teoria evolucionista de Darwin está a luta pela vida. Somente os mais fortes e os mais aptos conseguem sobreviver, e a própria natureza se incumbe de proceder a essa seleção natural. A Origem das Espécies (1859) pôs Darwin no centro das acirradas polêmicas e discussões fervorosas. Certamente é a mais importante obra sobre a Biologia jamais escrita. Fonte

Os três primeiros minutos, Steven Weinberg, Gradiva (editora portuguesa)

Os Três Primeiros Minutos

Sinopse: Até há relativamente pouco tempo, os cientistas não podiam confiar em nenhuma teoria sobre a origem do universo. A situação, contudo, modificou-se significativamente. Em 1965, surgiu a inesperada e extraordinária descoberta de uma radiação cósmica estática, no domínio das microondas, resíduo fóssil da fase explosiva do universo primitivo. Seguiu-se-lhe um aturado trabalho teórico e, hoje em dia, existe uma teoria sobre o universo primitivo a que os astrónomos aderiram tão completamente que lhe chamam «modelo-padrão». Com esta obra, temos pela primeira vez perante nós uma versão autorizada daquilo que se julga ter acontecido durante os três primeiros minutos do universo, bem como o relato excitante dessa descoberta. Steven Weinberg, o brilhante físico teórico de Harvard, transporta-nos aos primórdios do universo com uma clareza e graça extraordinárias, usando uma linguagem extremamente acessível que permite a qualquer leigo em física ou matemática a compreensão dos fenómenos ocorridos. Os Três Primeiros Minutos do Universo é uma obra notável e entusiasmante, um livro raro que, explicando de forma clara uma das mais importantes descobertas da ciência contemporânea, consegue alterar o modo como encaramos o mundo. Fonte

A filha de Galileu, Dava Sobel, Companhia das Letras


Sinopse: Pádua, 1609: Galileu aponta para o céu o telescópio que acaba de inventar e descobre um mundo jamais visto. É o início das descobertas astronômicas que confirmarão a heresia de Copérnico: a Terra se move em torno do Sol. Esta biografia de Galileu Galilei baseia-se sobretudo nas cartas - pouco conhecidas - que sua filha mais velha escreveu-lhe ao longo de duas décadas. Enclausurada num convento desde os treze anos, Virginia adotou o nome de sóror Maria Celeste, em homenagem à paixão do pai pelos mistérios do céu. Mesmo reclusa, era ela quem administrava a propriedade e os interesses de Galileu. Com rigor historiográfico e um grande senso narrativo, Dava Sobel reconstitui também a Itália renascentista, as ações da Inquisição, o ambiente das universidades, as intrigas palacianas e eclesiásticas, a Guerra dos Trinta Anos, a Peste Negra. Foi nesse mundo que viveu o fundador da ciência moderna. Fonte

Os anjos bons da nossa natureza, Steven Pinker, Companhia das Letras

Os anjos bons da nossa natureza

Sinopse: Em seu primeiro discurso como presidente dos Estados Unidos, em 1861, Abraham Lincoln apelou aos “anjos bons de nossa natureza” quando pediu à região sul do país, escravagista, que evitasse uma guerra contra o norte abolicionista. Sua súplica não foi atendida, e os americanos deram início ao conflito mais mortal de sua história. Banhos de sangue como a Guerra Civil Americana, porém, estão cada vez mais restritos ao passado, e estudiosos tentam hoje entender por que a sociedade contemporânea recorre menos à violência para resolver disputas. Em Os anjos bons da nossa natureza, o psicólogo canadense Steven Pinker toma para si o desafio duplo de responder a essa questão e de explicar as razões pelas quais as pessoas têm trilhado o caminho da paz com mais frequência, seja nas relações interpessoais, seja na diplomacia global. Não é fácil enxergar essa tendência, reconhece Pinker. A constatação de que a taxa de homicídios em países europeus caiu entre 90% e 98% desde a Idade Média, por exemplo, acaba sendo ofuscada pelo fato de que o continente passou pelo maior genocídio de sua história há menos de um século. Como teste de sanidade, o autor se respalda nas mais completas fontes de informação disponíveis para enxergar o processo de pacificação. Os anjos bons da nossa natureza cobre toda a escala de tempo da história humana, baseando-se em levantamentos de dados em arqueologia, estatísticas de criminalidade, contagens de baixas em guerras e outras formas de registro da violência. Numa empreitada multidisciplinar que envolve história, ciências sociais e psicologia, o autor constrói uma teoria robusta e coerente, que já constitui referência fundamental sobre o assunto. Mantendo o estilo afiado de seus livros anteriores, Pinker se destaca por sua clareza de argumentação, que é acessível ao público geral mas não recorre a banalizações. No trajeto do livro, o autor analisa os diferentes períodos históricos em que a pacificação progrediu e mostra quais aspectos da natureza humana estiveram em jogo durante esses processos. “Anjos” da empatia, do autocontrole, do senso moral e da razão lutam pela natureza humana contra “demônios” como o da predação, o da vingança e o do sadismo. Da interação desses sentimentos com cada momento histórico é que Pinker desenvolve uma teoria para descrever quais forças sociais e psicológicas moveram a saga da violência. Fonte

A vingança de Gaia, James Lovelock, Intrínseca

A vingança de gaia

Sinopse: Más notícias: o aquecimento global é um processo irreversível, e, para que a Terra não seja inabitável já nas próximas décadas, é bom começar a trabalhar agora para minimizar seus efeitos. Novo lançamento da Intrínseca, A Vingança de Gaia é o alerta de que a Terra pode estar se preparando para tornar a vida difícil para o Homem. Quem avisa é James Lovelock, um dos pais do movimento verde e autor e entusiasta da Teoria de Gaia, que acredita ser a Terra um organismo vivo, que sabe se defender do ataque de parasitas. E, neste momento, avisa ele, os parasitas somos nós, que exploramos sem dó os recursos naturais do planeta e empesteamos a atmosfera com gases poluentes. Em A Vingança de Gaia, Lovelock não se limita a apontar problemas. Também dá sugestões de soluções, entre elas a polêmica defesa da energia nuclear como um mal menor e uma forma de a Humanidade ganhar tempo. E o tempo, alerta ele, é curto. Fonte

Primavera Silenciosa, Rachel L. Carson, Melhoramentos

Primavera Silenciosa

Sinopse: Raramente um único livro altera o curso da história, mas Primavera Silenciosa, de Rachel Carson, fez exatamente isso. O clamor que se seguiu à sua publicação em 1962 forçou a proibição do DDT e instigou mudanças revolucionárias nas leis que dizem respeito ao nosso ar, terra e água. A preocupação apaixonada de Carson como futuro de nosso planeta reverberou poderosamente por todo o mundo, e seu livro eloquente foi determinante para o lançamento do movimento ambientalista. Este notável trabalho de Rachel Carson foi considerado em 2000, pela Escola de Jornalismo de Nova York, uma das maiores reportagens investigativas do século XX. Fonte

Armas, germes e aço, Jared Diamond, Record


Sinopse: ARMAS, GERMES E AÇO - considerado pela crítica especializada como o mais importante livro de não-ficção dos últimos três anos - derruba teorias racistas e mostra que a superioridade da Europa e da Ásia se deve às suas respectivas geografias, mais propícias ao cultivo da terra, à domesticação de animais e ao trânsito de informações. O livro mostra, ainda, como a história e a biologia podem dar suporte uma à outra para produzir um profundo entendimento da condição humana. Um sumário da trajetória dos homens comparável à obra deixada por Darwin. Fonte

Mito e significado, Claude Lévi-Strauss, Edições 70

Mito e Significado

Sinopse: Nestas cinco palestras, o notável antropólogo Claude Lévi-Strauss oferece penetrante visão que é fruto de uma vida dedicada a interpretar os mitos e a tentar descobrir o seu significado para o entendimento humano. As palestras intituladas "Myth and Meaning" foram transmitidas no programa Ideas, da Rádio CBC (Canadá), em dezembro de 1977, sendo preparadas a partir de uma série de longas conversas entre o Professor Lévi-Strauss e Carole Orr Jerome, produtora da secção parisiense da CBC. Fonte

Breve história de quase tudo, Bill Bryson, Companhia das Letras

Breve História de Quase Tudo

Sinopse: Ao constatar que ignorava o porquê dos oceanos serem salgados, o renomado escritor e cronista Bill Bryson percebeu, com certo desagrado, que tinha pouquíssimo conhecimento sobre o planeta em que vivia. A indagação o propeliu à tarefa épica de entender - e explicar - tudo o que sabemos sobre o mundo. Bryson parte da origem do universo e segue até os dias de hoje, tratando de assuntos relacionados à física, geologia, paleontologia e todas as outras disciplinas que considerava "maçantes" na escola. Antítese do texto didático tradicional, sua prosa foge dos jargões técnicos sem nunca abrir mão da profundidade. A preocupação do autor está em entender como os cientistas realizam suas descobertas. Para compilar esta Breve história de quase tudo, Bryson consultou dezenas de obras e pesquisadores e montou o que pode ser considerado um delicioso guia de viagens pela ciência.  Fonte

A conquista social da terra, Edward O. Wilson, Companhia das Letras

A Conquista Social da Terra

Sinopse: De onde viemos? O que somos? Para onde vamos? Essas perguntas fundamentais são o ponto de partida deste livro. Em busca das respostas, o autor se concentra na complexa vida social atingida por insetos como formigas, abelhas e cupins, e por pouquíssimos mamíferos - entre eles os seres humanos. Em comum, esses organismos têm um pré-requisito essencial à formação de sociedades avançadas: a necessidade de se fixar em um ninho e defendê-lo de inimigos. No caso dos seres humanos, esses ninhos são acampamentos, aldeias, cidades. O que nos permitiu chegar a uma organização social ainda mais complexa é um corpo avantajado com um cérebro grande e desenvolvido, características que possibilitaram ao homem pré-histórico dominar o fogo e se embrenhar por caminhos tecnológicos. A grande preocupação do pai da sociobiologia neste livro é elucidar os mecanismos evolutivos por trás do surgimento das gigantescas sociedades de formigas e da cultura de nossa espécie. Está aí, para ele, o cerne da natureza humana. Edward O. Wilson é um mestre em fazer grandes sínteses de ideias. É o que fez quando publicou Sociobiology, em 1975, e é o que volta a fazer agora, quando reúne ciências biológicas e humanas para rever o papel da seleção de parentesco e sustentar a área de pesquisa que ele mesmo liderou. Seja para entender como a seleção natural sobre o desempenho de grupos pode influenciar a evolução social de uma espécie, para discordar ou contribuir nos rumos propostos pelo autor, este livro é leitura essencial. E, quem sabe, esteja na origem de uma linha de pensamento em ascensão. Fonte
O que é vida?, Erwin Schrodinger, Unesp

Sinopse: Este é um clássico da literatura científica. Schrödinger, Prêmio Nobel de Física, se aventura por uma área que lhe é, à primeira vista, alheia: a explicação da vida como fenômeno empírico. Seu estudo, entretanto, é muito mais que uma contribuição exótica de um físico à biologia, ou à filosofia da biologia: suas teses obtiveram repercussão duradoura sobre gerações de pesquisadores e abriram campos de pesquisa até hoje trilhados.Fonte
O que é evolução, Ernst Mayr, Rocco

O que é a evolução?

Sinopse: Com rara clareza, Mayr propôs as questões básicas da evolução: quais são as evidências de que existe evolução na Terra e qual é a origem e o papel da diversidade orgânica. E descreveu de que forma a busca por respostas tem, ao longo dos anos, revelado soluções para os problemas mais difíceis associados à teoria da evolução. O autor contestou a abordagem reducionista que se propõe a estudar todos os fenômenos evolutivos em termos de gene, mostrando que a evolução deve se concentrar em duas unidades cruciais: o indivíduo e as populações. Em uma instigante seção final, Mayr mostrou de que forma nossa compreensão da evolução afetou o ponto de vista e os valores do homem moderno. Fonte

O universo numa casca de noz, Stephen Hawking, Saraiva

O Universo Numa Casca de Noz

Sinopse: Em “O universo numa casca de noz”, Stephen Hawking nos conduz às fronteiras últimas da física teórica para explicar, em linguagem acessível e com riqueza de imagens, os princípios que controlam o universo. A teoria da relatividade, a mecânica quântica, o princípio da incerteza, a teoria-M e as p-branas são definidos de forma bem-humorada e compõem o que o físico chama de Teoria de Tudo. Fonte
Muito além do nosso eu, Miguel Nicolelis, Companhia das Letras
Muito Além do Nosso Eu

Sinopse: Imagine um mundo onde as pessoas usam computador, dirigem seus carros e se comunicam entre si através do pensamento. Um mundo em que os paraplégicos podem voltar a andar e em que os males de Parkinson e Alzheimer são controlados. Parece cenário de ficção científica, mas tudo isso pode se tornar realidade. A humanidade está prestes a cruzar mais uma fronteira do conhecimento em direção à compreensão do imenso poder do cérebro, um conhecimento que poderá ser aplicado com grande proveito nas áreas de saúde e tecnologia. Em "Muito além do nosso eu", o premiado e internacionalmente reconhecido neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis revela suas ideias revolucionárias sobre essa nova tecnologia. Ele nos explica como o cérebro cria o pensamento e a noção que o ser humano tem de si mesmo (o seu self) - e como isso pode ser incrementado com o auxílio de máquinas. Este é o primeiro livro, destinado a um público leigo, a descrever com pormenores os enormes passos que a ciência vem dando para a criação das interfaces cérebro-máquina. Nicolelis mostra como a tecnologia será capaz de transformar a sociedade humana e moldar uma nova "indústria do cérebro", um empreendimento global com potencial de geração de trilhões de dólares. Essas interfaces, também chamadas ICMs, poderão um dia devolver a mobilidade a pacientes com paralisia grave, graças ao uso de "exoesqueletos" membranosos, que serão vestidos como uma roupa. As descobertas de Nicolelis e sua equipe oferecem também um caminho para a cura de distúrbios neurológicos como a doença de Parkinson e o mal de Alzheimer, sem contar as fascinantes perspectivas de comunicação tátil a longa distância e de exploração do fundo do mar e do espaço. "Muito além do nosso eu" fala de um futuro tecnológico em que as visões catastrofistas dão lugar ao otimismo e à esperança. Essa é uma das maiores aventuras da ciência contemporânea, e Nicolelis nos proporciona uma compreensão profunda e iluminadora desse admirável mundo novo. Fonte
Fontes: