quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Resenha: Anjos e Demônios, Dan Brown, Arqueiro

País de Origem: Estados Unidos
Ano da publicação no país de origem: em 2000
Ano da publicação no Brasil: em 2009
Tradução: Maria Luiza Newlands
Nº de páginas: 480
Série: 1º livro da série do professor Robert Langdon

Sinopse: Antes de decifrar ´O Código Da Vinci´, Robert Langdon, o famoso professor de simbologia de Harvard, vive sua primeira aventura em Anjos e Demônios, quando tenta impedir que uma antiga sociedade secreta destrua a Cidade do Vaticano. Às vésperas do conclave que vai eleger o novo Papa, Langdon é chamado às pressas para analisar um misterioso símbolo marcado a fogo no peito de um físico assassinado em um grande centro de pesquisas na Suíça. Ele descobre indícios de algo inimaginável: a assinatura macabra no corpo da vítima - um ambigrama que pode ser lido tanto de cabeça para cima quanto de cabeça para baixo - é dos Illuminati, uma poderosa fraternidade considerada extinta há quatrocentos anos. A antiga sociedade ressurgiu disposta a levar a cabo a lendária vingança contra a Igreja Católica, seu inimigo mais odiado. De posse de uma nova arma devastadora, roubada do centro de pesquisas, ela ameaça explodir a Cidade do Vaticano e matar os quatro cardeais mais cotados para a sucessão papal. Correndo contra o tempo, Langdon voa para Roma junto com Vittoria Vetra, uma bela cientista italiana. Numa caçada frenética por criptas, igrejas e catedrais, os dois desvendam enigmas e seguem uma trilha que pode levar ao covil dos Illuminati - um refúgio secreto onde está a única esperança de salvação da Igreja nesta guerra entre ciência e religião. 



MINHA EXPERIÊNCIA DE LEITURA

Devido ao enorme sucesso de “O código da Vinci”, que vendeu cerca de 80 milhões de cópias pelo mundo (entrando para a lista de maiores Best-Sellers de todos os tempos), muitos podem pensar que esse é o primeiro livro da série do professor Robert Langdon. Na verdade “Anjos e Demônios” o precedeu e introduziu muito bem o personagem que se tornou famoso no cinema ao ser interpretado por Tom Hanks.

A escrita de Dan Brown é ágil e o ritmo da história chega a ser frenético em algumas páginas – embora a ação seja intercalada com boas conversas dos personagens sobre história, religião e arte. O enredo é muito interessante, especialmente para quem se interessa por esses temas citados, como é o meu caso. Brown usou e abusou de fatos históricos e dados reais para rechear sua obra de verossimilhança, o que criou um precedente para suas obras futuras, notadamente “O código da Vinci”.

Os capítulos do livro são curtos e sempre terminam cheios de suspense, como se fossem as cenas curtas que costumam compor os filmes de ação. Há quem não goste desse estilo de narrativa. Eu gosto. Mas para mim o grande problema neste livro (e no resto da série) são os inúmeros clichês, coincidências absurdas e, claro, o roteiro idêntico aos outros: professor-bonitão-tem-que-desvendar-mistérios-e-recebe-a-ajuda-de-uma-mulher-atraente-e-inteligente.

Mesmo com esses contras achei a leitura extremamente divertida e, porque não, compensadora do ponto de vista intelectual. Não consegui largar o livro até terminar e vibrei a cada página virada com Robert Langdon, que é um ótimo personagem, do tipo que cativa a simpatia do leitor.

VEREDITO

Adorei “Anjos e Demônios”. O li em 2014 e, se não entrou para a lista dos melhores do ano, pode ser colocado logo abaixo deles. Acredito que quem curte ler sobre história, religião e assuntos afins vá gostar mais do livro, mas acho que qualquer pessoa possa se divertir muito com ele.

Recomendado!

5/5