quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Resenha: 10 pãezinhos - mesa para dois, Fábio Moon & Gabriel Bá, Devir

País de Origem: Brasil
Ano da publicação: 2006
Nº de páginas: 56

Sinopse: "Sr. Milo precisa terminar de escrever o seu livro. Julia tem as tardes livres. Agora, tudo que eles precisam é conversar."

Depois do elogiado "10 Pãezinhos: CRÍTICA", os premiados gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá lançam "Mesa para Dois", uma história sobre aquelas coisas que estão bem debaixo do nosso nariz, as pessoas com quem trabalhamos, o quanto sabemos sobre elas e elas sobre nós.
Se você não sabe qual caminho vai fazer, não sabe para onde esse caminho pode te levar.




MINHA EXPERIÊNCIA DE LEITURA


Comecei com o pé esquerdo com a dupla brasileira de gêmeos, Fábio Moon e Gabriel Bá. Eles ficaram famosos com a publicação de ‘Daytripper’, obra ganhadora do Eisner e que foi sucesso indiscutível de público e crítica. Nunca a li, embora esteja no meu tablet já há algum tempo. Decidi começar por uma obra do começo da carreira dos irmãos, e encontrei “Mesa para dois”, da coleção 10 pãezinhos, em uma das bibliotecas que frequento. Li em uma tacada só, praticamente – afinal, são apenas 56 páginas.

Não foi uma leitura desagradável. Os desenhos são excelentes, com um traço bem original que se tornaria marca registrada da dupla. “Então por que você disse que começou com o pé esquerdo com os autores?”. Ora, provavelmente de tanto ouvir nos vídeos dos canais sobre quadrinhos ou nos blogs que acompanho, a galera falar que ‘Daytripper’ é brilhante, eu esperei o mesmo desta obra aqui… Eu sei, criar expectativas demais muitas vezes atrapalha a experiência.

O plot da história é bem simples: o Sr. Milo, um escritor que está enfrentando uma crise criativa na escrita do que será o seu próximo livro, coloca no jornal um anúncio procurando uma assistente. Julia lê o anúncio e vai até a casa dele. Só que fica surpresa com o tipo de atividade que terá que desempenhar: ela deve se sentar e conversar com ele a semana toda, por cerca de 2 horas diárias. Apenas isso. E assim começa uma amizade entre os dois, e os acontecimentos vão se desenrolando.

A história ser tão simples é um ponto positivo para a obra, de certa forma. Não há nada de sobrenatural, inimaginável, heroico ou mitológico na obra. É apenas a retratação dos acontecimentos corriqueiros e, às vezes, estranhos da vida real, com a qual nós leitores podemos nos deparar. Mas esse ponto positivo transforma o quadrinho em uma experiência apenas OK. Você termina e pensa que sua vida poderia ter passado incólume sem nunca ter lido aquilo. Essa, pelo menos, foi a sensação que tive.


DESENHOS


Os desenhos são muito bons, acima da média. Eles são, sem dúvida, o ponto alto da HQ. E me deixaram com ainda mais vontade de conferir Daytripper.






VEREDITO


‘Mesa para dois’ não é uma obra ruim, e nela podemos ter um vislumbre do potencial que Fábio Moon e Gabriel Bá já tinham, e que se concretizaria em Daytripper. Apesar de ter sido uma leitura agradável, é totalmente dispensável – a menos que você queira ler tudo o que os gêmeos escreveram e acompanhar o desenvolvimento criativo deles, como foi a minha intenção.

Dispensável.

Nota:
2/5



Obs.: Foi feito um curta-metragem baseado no quadrinho. Confira: