domingo, 7 de junho de 2015

Resenha: Preacher Vol. 2 – Até o fim do mundo, Garth Ennis & Steve Dillon, Panini Comics (Vertigo)

País de Origem: EUA
Ano de Publicação: 1995 a 1996
Ano da edição brasileira atual: 2012
Tradução: Eduardo Tanaka
Nº de páginas: 228
Coleção: Preacher

Sinopse: Tendo a alma mesclada com a entidade angelical-demoníaca conhecida como Gênesis, o reverendo Jesse Custer é agora o único pastor na Terra que realmente tem o dom da Palavra de Deus. Qualquer um que ouça seus comandos precisa obedecer incondicionalmente a eles – ou quase todo mundo.

Quando seu inimigo mais letal chega para levá-lo até a fazenda da família, Jesse descobre que não pode confiar tanto n’A Palavra quanto acreditava. E isso é uma péssima notícia para o pregador e sua namorada, Tulipa O’Hare, porque chegou o momento de encarar a figura que transformou a infância de Jesse em um inferno: sua avó.
Mas por pior que a senhora Marie L’Angelle possa ser, ainda existem pessoas mais perigosas no mundo e elas já ouviram falar do poder d’A Palavra. Jesse ainda não sabe, mas já foi envolvido na maior e mais terrível conspiração da história do mundo – e vai descobrir como pode ser difícil dizer “não”.

ATÉ O FIM DO MUNDO é o segundo capítulo da saga de PREACHER, uma das histórias em quadrinhos mais aclamadas dos anos 90. Criada por Garth Ennis e pelo artista Steve Dillon, este novo clássico da nona arte versa sobre vida, morte e redenção, sendo também recheado de sexo, álcool, sangue e violência – além de anjos, demônios, Deus, vampiros e desajustados de toda estirpe. Sem dúvida, uma das obras mais viscerais a ser registrada em celulose! 



MINHA EXPERIÊNCIA DE LEITURA

Este é o segundo volume de um grande clássico da 9ª arte dos anos 90, de autoria do depravado irlandês Garth Ennis (‘Hellblazer – Hábitos Perigosos’ e ‘Hitman’) e com a arte inconfundível de Steve Dillon. Este arco, ‘Até o fim do mundo’, traz as edições 8 a 17 da série Preacher, e basicamente nos conduz ao passado de Jesse Custer, contando sua história de origem e da terrível infância que teve na casa da sua psicótica avó Marie L’Angelle. Neste arco aparecem, também, alguns dos mais icônicos personagens de Preacher, sendo o melhor deles o principal vilão da história, Herr Starr.

Uma das coisas mais legais dos roteiros de Ennis neste arco – e no resto da série – é a imprevisibilidade de muitos acontecimentos, o que me deixou o tempo todo “ligada” na leitura e sendo surpreendida a cada virada de página. Quando você acha que sabe o que vem a seguir leva um chute na barriga, e quando acha que aquilo foi o limite da criatividade do autor irlandês, voilà, surpresa de novo! Em alguns momentos a leitura chegou a ser frenética por causa da minha necessidade em saber o desfecho, e eu posso afirmar que poucos quadrinhos me divertiram tanto quanto este segundo volume da série.

Mas, atenção aos muito sensíveis: se no primeiro volume havia violência e blasfêmia a torto e a direito, aqui elas vão para níveis estratosféricos. A forma com que Ennis retrata a pessoa de deus é hilária e muito profana. Fraturas expostas e miolos voando são o prato da casa.

DESENHOS

Steve Dillon tem exatamente o tipo de arte que eu mais gosto: simples, limpa, precisa, mas detalhista e expressiva. Seu traço casa perfeitamente com o argumento de Ennis, e ele não enche as páginas com detalhes desnecessários – especialmente nas cenas de luta – o que permite que você mantenha o foco na história. Tudo é colocado no seu devido lugar, sem exageros.





VEREDITO

Se o primeiro arco de Preacher é bom pra caramba, neste aqui a história só melhora. Sexo, ultraviolência (à la Quentin Tarantino), plot twists insanos ao estilo Garth Ennis, personagens excêntricos e muito interessantes, combinados a uma concepção muito blasfema da religião cristã, são alguns dos elementos que fazem a obra-prima de Ennis ser leitura indispensável e divertidíssima para qualquer leitor de quadrinhos. Vale a pena observar que a produtora AMC Studios começou as filmagens da série Preacher, e os produtores já soltaram na internet até uma foto do pastor Jesse Custer com o Cara de Cu. Então vale super a pena ler a obra para se preparar para curtir essa incrível e insana história sendo contada na TV.

Jesse Custer e Cara de Cu na série Preacher, cuja primeira temporada está sendo gravada

Leitura Obrigatória!

Nota:
5/5