quarta-feira, 9 de julho de 2014

Resenha: A mulher silenciosa, A.S.A. Harrison, Intrínseca

Esse é um dos lançamentos do 1º semestre de 2014 que eu resolvi colocar na minha booklist. A sinopse e as críticas bastante positivas recebidas na imprensa internacional foram os responsáveis por isso. “A mulher silenciosa” é filho único da escritora A. S. A. Harrison, que infelizmente faleceu após o lançamento deste livro. Realmente é uma pena porque poderíamos esperar outras ótimas obras, como essa, no futuro.
Sinopse: Jodi e Todd estão juntos há 20 anos e, aparentemente, levam uma vida invejável. Todd é um empreiteiro bem-sucedido que pode bancar alguns luxos, como o enorme apartamento com uma vista deslumbrante para o lago, um Porsche (dele) e um Audi (dela) na garagem, e o estilo de vida de Jodi. Psicoterapeuta, ela atende em casa apenas dois clientes por dia, e tem tempo de sobra para as sessões de pilates, as aulas de arranjos florais, os passeios com Freud, o golden retriever do casal, e o preparo das refeições gourmet de que tanto gosta. Jodi ainda fica ansiosa ao ouvir a chave do marido abrindo a porta. Todd diz que nunca encontrará uma mulher igual a ela. Essa fachada perfeita, porém, está prestes a ruir. Todd é um adúltero incurável, e Jodi sabe disso. Ela é a esposa silenciosa, preparada para tolerar as traições do marido com o intuito de manter as aparências. Até que Todd sai de casa - para viver com uma mulher com metade da idade dela, filha de seu melhor amigo. Magoada, humilhada e, por fim, financeiramente abalada, Jodi começa a contemplar o assassinato como uma opção razoável. Contado alternadamente nas perspectivas dele e dela, 'A mulher silenciosa' é um livro sobre um casamento à beira do fim, um casal na direção da catástrofe, concessões que não podem ser feitas e promessas que não serão cumpridas. Um thriller psicológico sofisticado, que seduz o leitor desde a primeira página. 
Fonte: http://www.skoob.com.br/livro/382117 

Este é um thriller psicológico da melhor qualidade, que explora muito bem os problemas psicológicos dos personagens e suas vulnerabilidades. A vida conjugal em um casamento longo e em crise é destrinchada sem dó e nem piedade, com realismo e sem pieguice. A infidelidade masculina e a tática usada por muitas esposas, que é ficar em silêncio e relevar os erros do marido são mostradas. “A mulher silenciosa” trata justamente disso: da capacidade de silenciar da personagem principal, Jodi, uma mulher que se anula em prol das aparências e do que ela acredita ser amor.

A tensão ao longo de toda a estória é palpável. A autora induz seu leitor de tal forma que é fácil se ver tomando um lado, rapidamente, e é mais fácil ainda conseguir bons argumentos para amar a Jodi e odiar o Todd ou vice-versa. Mas acho que independentemente de amarmos ou odiarmos Jodi, a principal torcida é para que ela quebre o seu longo e incômodo silêncio. Talvez para que tudo exploda. A falsa calma que reina no lar do casal, por baixo do qual corre um “rio” de dinamite, precisa chegar ao fim. E chega.

Recomendo a todos os que gostam de um bom suspense psicológico ou apenas querem ler algo diferente do que estão acostumados. Esse é tipo de livro que “quebra” a nossa rotina de leituras. E isso é ótimo. Bem escrito, analítico e uma boa fonte de diversão, vai te deixar absorto em cada página. Boa pedida!

Nota: