quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Testando: Kindle Paperwhite 2015, o melhor e-reader do mercado brasileiro


Sou uma grande entusiasta dos e-readers e e-books desde que comprei um Kobo Glo em fevereiro de 2014. Após quase dois anos de uso posso afirmar que foi uma das melhores aquisições que fiz na vida – se não a melhor. Carregar mais de mil livros na mochila em um aparelho que pesa menos de 200 gramas, possui uma tela que imita perfeitamente o papel e luz que não cansa os olhos (possibilitando que eu leia à noite quando chego da faculdade), uma tela touch (amo telas touch), dicionários e outros recursos muito práticos, me fez trocar sem pensar duas vezes os livros físicos pelos digitais. “Ah, mas e o cheiro do livro”? Livro é para ler, não para cheirar. O importante é o conteúdo da obra, não a forma. Pelo menos essa é a minha opinião.

E neste ano resolvi me dar um presente de aniversário: o Kindle Paperwhite 3, o mais novo lançamento da Amazon no Brasil. Vamos ao teste deste gadget de leitura que é muito elogiado.

Produto: Kindle Paperwhite
Versão: 3
Fabricante: Amazon
Lançamento no Brasil: junho de 2015
Configurações: veja no site da Amazon
Preço: R$ 479,00


Pontos Positivos


1. Design. O Kindle possui um design minimalista, com a carcaça inteira em preto fosco, linhas discretas e bordas arredondadas. Para quem gosta de aparelhos bonitos, mas discretos, certamente vai adorar a “cara” do Paperwhite.

2. Pegada. O material emborrachado do aparelho passa uma sensação gostosa ao toque e, ao mesmo tempo, mais firme, diminuindo as chances de escorregar e cair da sua mão. Além disso, ele pesa apenas 206 gramas, muito mais leve que um tablet, por exemplo.

3. Tamanho. As dimensões do Kindle (169mm x 117mm x 9,1mm) parecem pequenas para algumas pessoas, à primeira vista. Na verdade, são ideais para torná-lo leve e portátil, e como o aparelho possui a funcionalidade de aumentar as letras do livro que você está lendo seu tamanho não atrapalha nem um pouco o conforto visual na hora de ler.

4. Rapidez. Este modelo é surpreendentemente rápido, especialmente para quem, assim como eu, acostumou-se com a lentidão do Kobo Glo. A troca de páginas é instantânea e não deixa “fantasmas” da página anterior; o aparelho liga instantaneamente após o comando; o touch é bastante sensível e superior ao do Kobo Glo.

5. Iluminação. A iluminação do aparelho não é interna, e sim uma retroiluminação, com uma luz que não fere a visão do leitor como acontece com computadores, tablets e celulares. Ou seja, o conforto visual mesmo à noite é maravilhoso, fazendo com que ler horas a fio no aparelho não canse a sua vista (e ainda evita que você tenha que ligar a lâmpada do quarto).


6. Tela. Um dos diferenciais deste modelo é a tela HD, com 300ppi e um contraste excelente. Mesmo em um aparelho cujas cores são apenas as da escala de cinza, uma tela assim melhora o contraste entre tons diferentes e torna o preto mais preto. Acredite, isso faz diferença na hora de ler.

7. Memória. O Paperwhite vem com 4GB de memória total, sendo 1GB para o software e 3GB disponíveis. Pode parecer muito pouco para quem está acostumado com celulares e tablets com 16GB ou mais de memória. No entanto, é preciso lembrar que os ebooks têm um tamanho muito pequeno, o que permite que o aparelho carregue milhares (literalmente) de livros.

8. Preço. A atitude da Amazon de manter o preço de R$ 479,00 (o mesmo do Paperwhite 2) no Brasil é louvável, se considerarmos que nos EUA o mesmo aparelho está por $ 119,90 dólares e o dólar está quase a R$ 4,00.

9. Custo x Benefício. R$ 479 pode parecer um preço alto pelo Kindle. Mas, acredite, ele vale cada centavo para quem lê bastante. Se você fizer as contas do quanto vai economizar a longo prazo com os livros físicos, vai concordar comigo. O meu Kobo se pagou em menos de um ano, por exemplo. Além disso, você está pagando pela comodidade e praticidade de carregar milhares de livros na palma da mão.

10. Tecnologia E-ink. Alguns desavisados afirmam que nada se compara a ler um livro físico. Discordo. Um bom e-reader, como o Paperwhite, não fica devendo em nada para a experiência de ler no papel. A tecnologia E-ink (leia aqui como ela funciona) reproduz, fielmente, a aparência e conforto do papel, permitindo que você leia ao sol, por exemplo, diferentemente de tablets e smartphones cujo brilho das telas torna inviável a leitura nesse tipo de ambiente.


11. Bateria. A bateria do e-reader dura muito, muito mesmo. Dependendo do seu uso, pode chegar a um mês. Ou seja, dificilmente você ficará na mão no meio de uma leitura.

12. Forma de envio de ebooks. Os ebooks são guardados na nuvem da Amazon, e você pode enviar arquivos pessoais (ou mesmo ebooks baixados da internet) por e-mail para o seu Kindle, fazendo com que não seja sempre necessário conectá-lo ao seu computador para salvar arquivos nele (um problema que ocorre com o Kobo Glo, por exemplo).

13. Acervo da Amazon. Quando a empresa veio para o Brasil, há mais de 2 anos, uma das principais reclamações era sobre seu pequeno acervo. No entanto, hoje em dia a Amazon possui o maior acervo de ebooks no Brasil.

14. Entrega da Amazon. A entrega da Amazon é muito rápida. O produto chegou na minha casa dois dias antes do previsto, e estava bem embalado e em perfeitas condições.

15. Preços dos ebooks. Os ebooks da Amazon costumam ter um preço convidativo, principalmente se você aproveitar as promoções semanais da loja. Grandes títulos por R$ 9,90 são bastante comuns.


Pontos Negativos


1. Formatos suportados. A Amazon criou um aparelho que não suporta o formato mais comum de ebooks, o epub, de propósito, para que você compre seus ebooks apenas na loja deles. O Kindle suporta apenas os formatos azw, azw3, pdf, mobi, doc, docx, txt, bmp, gif, png e jpeg. No entanto, nada que o Calibre não resolva. É só converter o seu ebook formato epub para mobi e mandar para o Kindle. Por experiência própria, posso dizer que fica ótimo. No caso dos quadrinhos formato cbz ou cbr, é preciso convertê-los também, mas utilizando o Kindle Comic Creator. Fiz um tutorial aqui ensinando a utilizá-lo.

2. Assistência técnica no Brasil. Se o seu Kindle quebrar, simplesmente não há como consertá-lo, visto que não existe assistência técnica no Brasil. Mas, se ele estiver ainda na validade de 12 meses e o defeito for de fabricação, a Amazon provavelmente dará a você um novo aparelho.

3. Preços dos acessórios. Os acessórios originais vendidos na loja da Amazon Brasil são caríssimos. A capa de couro, por exemplo, é muito bonita e, conforme os comentários dos compradores, de qualidade inquestionável, mas custa R$ 150! Um preço altíssimo, convenhamos. Mas o valor não é alto apenas aqui no Brasil, visto que nos EUA a mesma capa custa U$ 40 dólares. O carregador original da empresa também é caro: custa R$ 79. No entanto, você pode comprar uma capa da Multilaser por R$ 15,90 (por experiência própria, muito boa) e usar o carregador do seu celular.

4. Fragilidade. O Kindle é mais frágil do que smartphones e tablets. Sua tela não possui a tecnologia Gorila Glass e a carcaça não é robusta. Portanto, todo cuidado é pouco com ele. Evite quedas a todo custo e não o use sem uma capa.




Veredito


O Kindle Paperwhite 2015 é o melhor e-reader existente no mercado brasileiro atualmente, inclusive se o compararmos ao Kindle Voyage que custa quase o dobro e entrega praticamente a mesma coisa. Vale muito a pena para leitores vorazes ou mesmo leitores ocasionais que gostam de praticidade e de gadgets. Se você tem o Kobo Glo ou os Kindles anteriores, vale muito a pena o upgrade. E não se preocupe em ficar restrito a ler apenas ebooks no formato mobi, porque converter ebooks no formato epub para o mobi é fácil, rápido e fica com um ótimo resultado.

Nota:

5/5


Recomendadíssimo!

Site com ótimas dicas para usuários Kindle: