quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Resenha: Superman e a Legião dos Super Heróis, Geoff Johns & Gary Frank, Panini Books

Esta HQ foi lançada em julho pela Panini nas bancas de todo o país. Chama a atenção pela bela capa desenhada por Gary Frank, que é um artista prestigiado e muito bom, e pelo acabamento (capa dura, papel especial, bonito projeto gráfico). E o fato de ser uma história sobre o Superman é o que me convenceu a comprar o material, já que eu conhecia a Legião dos Super Heróis apenas da ótima graphic novel “O que aconteceu ao homem de aço”, de Alan Moore, cuja resenha você pode encontrar aqui.

Sinopse: Respondendo a um urgente pedido de socorro, Superman viaja ao século 31 para salvar seus maiores amigos: a Legião dos Super-Heróis. Mas, nesse futuro, o legado do Homem de Aço foi distorcido e usado para iniciar um período de terror em todo o cosmo, um período em que a Legião é considerada uma organização criminosa, uma guerra entre os Planetas Unidos e a Terra é iminente e as ações de “manutenção da paz” da xenofóbica Liga da Justiça da Terra pioram as coisas cada vez mais… Para resolver a caótica situação, Superman terá de resgatar a Legião e, com ajuda de seus integrantes mais valorosos, restabelecer sua interminável batalha pela justiça, pela verdade… e pelo modo de vida intergaláctico! 

Fonte: http://www.skoob.com.br/livro/391819

A história mostra um Superman na juventude como o garoto Clark Kent, rejeitado pelos colegas da sua idade, encontrando pela primeira vez a Legião de Super Heróis, vindos do futuro para conhecer e ajudar o futuro grande herói a se divertir. E faz um contraponto com o Clark anos depois, já adulto, já Superman, sendo chamado para o futuro pela mesma Legião para ajudá-los a lutar contra a nova Liga da Justiça e seu líder, que criou uma espécie de culto pelo Homem de Aço afirmando que ele não era um alienígena e lutava contra a permanência de alienígenas na Terra. Ou seja, criam um culto parecido com o nazismo e as vítimas são os extraterrestres.

Para mim os pontos positivos da HQ são: 1º o fato do Superman ficar sem poderes por quase toda a história e ter que lidar com os seus inimigos como um humano comum, dependendo da ajuda da Legião e mostrando que, mesmo na fragilidade, ele é um herói; 2º os vilões da história que não chegam a ser brilhantes, mas são fortes e interessantes; 3º os desenhos do Gary Frank que, se não me agradam totalmente (acho estranho o traçado dos rostos que ele faz), são acima da média; 4º Geoff Johns escreve bem aqui, uma história concisa, que, se não é brilhante (longe disso), é divertida e sem pontas soltas.





Recomendo para os que são fãs do Superman ou de quadrinhos de super-heróis em geral. Não espere nada fantástico, apenas se divertir. Nisso ela cumpre muito bem o seu papel.

Nota: