sexta-feira, 6 de junho de 2014

Resenha: Nêmesis, Mark Millar & Steve McNiven, Panini Books

Eu adoro grandes vilões. Sempre adorei. E acho que os super-heróis devem tudo o que são a eles. O que seria o Batman se não fosse o Coringa? O Superman sem Lex Luthor? O Homem-Aranha sem o Duende Verde? E essa minha "afeição" por vilões foi o grande motivo de me interessar por "Nêmesis", cuja sinopse, como vê abaixo, promete muito mais do que um vilão comum. Um super-vilão. Um ricaço, que perdeu os pais muito jovem, mas que ao contrário do Bruce Wayne não quis se tornar um mascarado para capturar os maus. Quis ser a encarnação do mal. Seu deboche, sua ironia e seu escárnio temperam essa HQ que me ganhou desde a primeira página. Esqueça o politicamente correto. Abrace a violência (hello, Quentin Tarantino!) e a perversidade. E descubra que os mocinhos não podem vencer sempre.

Sinopse: Ele é um filho do privilégio, herdeiro de bilhões após a morte de seus pais. Possui uma frota de carros de luxo, um hangar cheio de aviões e incontáveis traquitanas tecnológicas ao seu dispor. Trajando uma máscara e uma longa capa esvoaçante, ele é um homem de branco lutando incansavelmente pela causa em que acredita. Mas, se você pensa que Mark Millar e Steve McNiven estão contando uma história que você já ouviu, está enganado: você saberá que tem em mãos algo completamente diferente ao virar a primeira página. Nêmesis persegue a violenta fantasia de dar vida ao maior de todos os vilões numa atrevida e implacável epopeia de ação, ultraviolência e humor hiperbólico ao estilo Millar (Kick-Ass, O Procurado) e McNiven (Guerra Civil)!
Como extras foram inclusas as capas originais de Steve McNiven e as alternativas (por Leinil Francis Yu e John Cassaday), além de um posfácio do autor e também uma singular capa desenhada pelo próprio.
Fonte: http://www.skoob.com.br/livro/298006
A HQ traz traços muito realistas de McNiven e cores que enchem os olhos. Para quem gosta de "Kick Ass", filme ultraviolento baseado na HQ homônima, também de Mark Millar, "Nêmesis" é um deleite. Gostei muito do argumento de Millar aliado aos enquadramentos da estória, e posso afirmar que essa é uma leitura de tirar o fôlego e que você faz em uma "porrada" só. Aliás, essa HQ é uma porrada!




Na internet, podemos encontrar os seguintes significados para a palavra Nêmesis:
Nêmesis é um substantivo masculino com origem no grego, que indica vingança ou indignação justificada. Também é usada como sinônimo de inimigo. Nêmesis também pode ser usada para representar algo que uma pessoa não consegue conquistar ou alcançar, ou um rival poderoso que é muito difícil de vencer. Em muitos casos, nêmesis é uma referência a um agente ou ato de castigo ou vingança.

O super-vilão de Mark Millar busca vingança. Uma vingança bem traçada, bem planejada, contra - claro - um personagem em especial, mas sobretudo contra o sistema do qual esse personagem faz parte. Ele mostra que veio para humilhar, revelar fraquezas, derrubar crenças e - sobretudo - tirar a paz. Ninguém está seguro de sua fúria, em parte alguma.

Se você gosta de personagens que desafiam o Sistema - o que é, na minha opinião, o grande mérito desse super-vilão, a despeito da forma com que faz isso -, não hesite em ler essa HQ. Como mostra a própria contracapa, ela é indicada para maiores de 16 anos, por conta de sua violência. Portanto, se você não curte estórias violentas, não se aventure.

Nota: