quarta-feira, 5 de março de 2014

Leituras para o mês de março

Um novo mês se inicia e com ele novas metas de leitura. Minha meta de leitura para este ano é de 84 livros, ou seja, 7 livros por mês. Imagino que conseguirei cumpri-la, pois já consegui bater minhas metas de janeiro e fevereiro.

Abaixo listo as leituras que pretendo fazer neste mês (algumas já comecei) e o porquê de eu me interessar por esses livros:

1.        A redoma de vidro, Sylvia Plath, Globo





Comecei a ler esse livro no dia 3. Me interessei por ele através de um vlog do Youtube (o Tinny Little Things, da Tatiana Feltrin, que eu acompanho). A Tatiana falou muito bem dele e como eu estou atualmente totalmente aberta a conhecer autores e livros, estilos, gêneros, e ler todo tipo de coisa – que tenha qualidade, é claro – resolvi me arriscar. E não me arrependi. É um livro triste, que fala de uma moça entrando em depressão (a própria Sylvia Plath era depressiva, suicidou-se, inclusive), com uma narrativa em primeira pessoa e escrita visceral. Até já chorei. Em breve postarei resenha dele aqui.

2.        Perfeitos, Scott Westerfeld, Galera Record





Li Feios no mês passado e como a curiosidade falou mais alto, já que, sim, gostei de Feios, li Perfeitos nos dias 1 e 2 deste mês. Um livro de leitura fácil, fluida, que se baseia na mesma linha distópica de Jogos Vorazes e com imensa influência – em inúmeras partes do livro – de Admirável Mundo Novo, do Aldous Huxley. Em breve postarei resenha de Feios e Perfeitos, também.

3.        Jogos Vorazes, Suzanne Collins, Rocco





Sim, eu gosto de Jogos Vorazes. Ou melhor: ADORO Jogos Vorazes. Sou ávida consumidora de distopias – lia livros do gênero desde novinha sem ao menos conhecer a palavra – e acredito que Suzanne Collins veio para renovar o gênero, influenciar uma nova geração de escritores e mostrar que livros para adolescentes não precisam ser ruins e contar histórias banais. E como eu assisti os dois primeiros filmes (aguardo ansiosamente o terceiro), não poderia deixar de ler os livros. Comecei a ler Jogos Vorazes no dia 3 e estou adorando a escrita da Collins e me surpreendendo com os detalhes deixados de fora do filme. Em breve, mais uma resenha aqui.

4.        O relojoeiro cego, Richard Dawkins, Companhia das Letras





Richard Dawkins faz parte do que os ateus chama de “os quatro cavaleiros do ateísmo”, ou seja, da lista dos quatro principais autores do neo-ateísmo: Christopher Hitchens (autor do excelente Deus não é grande, que em breve terá resenha aqui), Sam Harris e Daniel Dennett e Dawkins. Ninguém escreve sobre Evolução como Dawkins, e sua escrita ácida, sincera e bem argumentada é de deliciar qualquer amante da Ciência e da liberdade de pensamento. Já comecei a saborear esse clássico, sem pressa, e assim que terminar postarei resenha aqui.

5.        Especiais, Scott Westerfeld, Galera Record



Esse mês pretendo terminar, também, o terceiro livro da quadrilogia Feios, para não perder o “fio da meada”.

6.        17 equações que mudaram o mundo, Ian Stewart, Zahar





Ano passado li um livro fantástico, o Alex no país dos números, de Alex Bellos. Não mudou a minha opinião a respeito do quão difícil é aprender matemática – mas me fez admirá-la e apreciá-la. Já a obra de Ian Stewart entrou na minha lista de leituras pelo título e sinopse que adorei, pela temática e porque eu adoro literatura científica, que, quando bem escrita, pode nos fazer aprender muito, e o melhor, com diversão.

7.        V de Vingança, Allan Moore, Panini Comics (Vertigo)





Eu simplesmente tenho que terminar V de Vingança, que comecei a ler em dezembro. Sou apaixonada pelo filme, pelos personagens e pelo cenário distópico da história. E como resolvi que 2014 seria um ano em que leria bons quadrinhos, não poderia deixar de lado esse clássico do gênio Allan Moore.

Então, vamos às leituras e até a próxima, pessoal!